Origens da Cidade

 

O território onde atualmente está localizada a cidade de Narazé da Mata era chamado de Lagoa D'Antas, uma sesmaria doada a Manoel Bezerra Cunha, em 18 de junho de 1581. O povoamento de Nazaré teve início no século XVIII, numa propriedade onde foi edificada a capela de Nossa Senhora da Conceição. Em homenagem à santa, a localidade passou a chamar-se de Nossa Senhora da Conceição de Nazaré.



Em 1833, desmembrando-se do município de Igaraçu, tornou-se vila, quando passou a ser sede da freguesia. Foi elevada à categoria de cidade pela Lei de nº 258, de 11 de junho de 1850. 

O primeiro prefeito foi o Padre Anísio Torres Bandeira, que tomou posse em 1892, quando os municípios passaram a ter maior autonomia administrativa com a proclamação da República.
Pelo Decreto-Lei nº 952, de 31 de dezembro de 1943, o nome da cidade foi acrescido do termo "da Mata", por se encontrar nessa zona fisiográfica.
Administrativamente, Nazaré da Mata é constituída unicamente pelo distrito sede. No município, encontra-se a arquidiocese de Nazaré da Mata, que também é sede do Bispado, abrangendo diversas cidades da região.
Anualmente, no dia 17 de maio o município comemora a sua emancipação política.

Economia                                                    

A atividade que movimenta a economia de Nazaré da Mata é a agricultura, com destaque para a monocultura da cana-de-açúcar (foto), que emprega grande parte da mão-de-obra local. Além disso, sobressaem a avicultura, com um dos maiores abatedouros do Estado; a indústria alimentícia, com as massas e biscoitos; e as indústrias de cerâmicas e panificadoras.
A cidade tem também no turismo cultural/rural uma das principais atividades econômicas, setor em plena ascensão.

Os visitantes vão a Nazaré da Mata em busca das atrações da cultura popular, como os famosos maracatus que existem no local. A Região de Desenvolvimento da Mata Norte, na mesorregião da Mata Pernambucana, abrange cerca de 3,29% do território estadual, com 3.256,5 km² de área constituída por mais 18 municípios.

 

Turismo

 

Nazaré da Mata é a "Terra do Maracatu". (Leia sobre o maracatu) A cidade possui 19 grupos e no período carnavalesco sedia o maior encontro de maracatus rurais do Estado. Na ocasião, mais de 50 grupos de brincantes participam da apresentação para milhares de visitantes. A praça principal enche-se de cores com os caboclos de lança e baianas, que vão às ruas em sincretismo religioso, para homenagear os orixás.

Não se sabe ao certo quando o maracatu rural passou a ser uma festa carnavalesca. Sua origem encontra-se nas senzalas dos engenhos de cana-de-açúcar de Pernambuco.

Enquanto as festas aconteciam na casa-grande, os escravos também procuravam se divertir. E, com o passar do tempo, a brincadeira foi se popularizando em toda a Zona da Mata pernambucana.

É em Nazaré da Mata que está o maracatu rural mais antigo do Estado, o Cambinda Brasileira. O grupo foi fundado em 1898 e sua sede permanece no mesmo lugar, no engenho do Cumbe, onde mora a viúva do fundador, Dona Joaninha. O caboclo de lança mais antigo de Pernambuco também é do Cambinda. Zé de Rosa veste-se de tradição todo carnaval e orgulha-se do posto. Ele mesmo faz sua própria gola, costurando lantejoula por lantejoula.

Além dos maracatus, o município tem belos engenhos que podem ser visitados, com imagens deslumbrantes, onde o sol se põe em meio ao canavial. Todos eles com uma igreja em ponto mais alto, completando a paisagem. Nazaré da Mata não brilha só no Carnaval. O São João também é animado, com tudo que manda a tradição pernambucana: fogueiras, forró e comidas típicas.

                                                                                                                              

Prefeitura Municipal de Nazaré da Mata - HISTÓRIA. Capital Pernambucana do Maracatu-Todos os direitos reservados 2012. Desenvolvimento Etevaldo Genuino - contato suporte@genwebsistem.com
Powered by Joomla 1.7 Templates